segunda-feira, 6 de junho de 2016

FANTÁSTICO - REPORTAGEM TENDENCIOSA SOBRE NOOTRÓPICOS

Um disclaimer importante: apesar de terem falado apenas dos "maus" que operam nesta área, tais como o Focus X, Genius X, Sucess, Neurofos, Intelimax IQ, OPTI-Memory, Memory+ e Memory Plus, que são tudo farinho do mesmo saco, um lixo de suplemento, e de quem ganha dinheiro com nootrópicos, vendendo informações e conhecimento ou os trocando por cliques pagos, nada tiveram coragem de falar sobre o NZT100 que nem mesmo se quer foi citado na reportagem. E isto nos leva ao fato, de que ninguém encontrou qualquer evidência que desabone as informações aqui relatadas e publicadas. O que me deixou muito satisfeito, apesar de terem erroneamente afirmado, que não existe qualquer medicamento que seja capaz de melhor a parte cognitiva do ser humano, como aqui está mais do que provado, leiam. Isto na minha opinião, é o mesmo que afirmar ceticamente que em um universo com mais de 3 bilhões de planetas similares ou melhores do que o nosso, só exista vida inteligente aqui na Terra. Infelizes dos pacientes dos Senhores Médicos, Gilberto de Nucci e Dartiu Xavier que sinceramente assinaram o atestado de óbito dos seus respectivos diplomas acadêmicos, mostrando sua total falta de conhecimento do cérebro humano como um todo e principalmente, do comportamento humano.

Como já se era esperado, foi ao ar neste último domingo, dia 05 de Junho de 2015 uma reportagem no mínimo tendenciosa sobre os "nootrópicos" exibidas pelo Fantástico da já tão contestada na última década, Rede Globo. Esta reportagem foi assinada pela jornalista Luciana Osório, que em uma entrevista ao Roche, a jornalista defendeu que "nas reportagens sobre os temas de saúde, a informação científica é a base que deve sustentar qualquer narrativa jornalística – independente do público que desejamos atingir". Só que desta vez, sinceramente eu não vi nada disto e minha opinião também é a mesmo de várias outras pessoas com conhecimento e registros científicos sobre os off-labels

   


Eu não curti a reportagem que foi um LIXO na minha opinião. Pois o Sr. Dartiu Xavier da Silveira, foi muito infeliz em afirmar "não existem remédios para ficar mais inteligente" e que os nootrópicos são medicamentos desenvolvidos na década de 60 ou 70 - nem ele mesmo sabe - com a finalidade de proteger o cérebro

Aí eu pergunto: estudar não é uma medicação? Livros não são remédios? E se livros não são remédios, por que são a cura para o mal que atinge 90% dos brasileiros chamado "ignorância crônica"? Livros não são nootrópicos? Estudar não aumenta o QI de qualquer pessoa?